quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O "fim" do MySpace (Ovelhas Desgarradas - 40)

Ainda referência em música na internet, 
site não tem justificado a fama,
perdendo em funcionalidade para os 
brasileiros PalcoMP3 e Conexão Vivo


Outro dia eu conversava pelo bate-papo do Facebook com uma artista cujo trabalho recém-conhecera pela internet: a cantora capixaba Tabatha Fher. Quando perguntei onde podia ouvir o seu trabalho, ela respondeu que ainda está finalizando seu primeiro CD, e que por enquanto eu poderia ouvi-la em sua página no MySpace.


Tabatha Fher
(Foto: Rodrigo Rosenthal) 


De fato, o MySpace ainda é o primeiro nome que vem à cabeça da maioria das pessoas quando se fala em música na internet. Porém, entendo que há muito o site deixou de justificar a fama. Ao longo do tempo, o MySpace foi deixando de lado o que tinha de bom (outrora uma plataforma de downloads, hoje o site parece mais uma central de vendas de música digital) e, simultaneamente, nada fez para resolver seus pontos fracos (o player, pesado, é a última coisa que carrega na página). Sem contar que, hoje, se você não estiver logado no site, vai poder ouvir no máximo 3 músicas, depois disso só tem liberado 30 segundos de cada faixa. A exigência de login se deve ao fato do MySpace ter tentado se tornar (talvez tarde demais), uma rede social. Mas quem vai abrir uma conta no site apenas para ouvir música aos pulos, já que o player emperra a todo momento?

Foram coisas como esta que respondi à banda amazonense Amazônica (foto ao lado - crédito: divulgação), que por várias vezes me escreveu no Twitter pedindo que eu visitasse seu MySpace. A banda agradeceu a dica, e aproveitou para perguntar quais seriam então os melhores sites para deixar o som à disposição. Eu indiquei o PalcoMP3, o Conexão Vivo e o 4Shared.

Destes, os que mais se assemelham ao MySpace são os brasileiros PalcoMP3 e Conexão Vivo. A banda cria sua página, inclui release e fotos e sobe suas músicas. Nos dois o player começa a rodar tão logo se abra a página. Quanto a downloads, no Conexão Vivo isto é opcional, enquanto é a regra no PalcoMp3 – tudo que ali pode ser ouvido pode ser baixado. Talvez por isso o site ainda tenha pouca presença de artistas de MPB – muitos ainda torcem o nariz para downloads, apostando na venda do CD físico.

Já o 4Shared segue outra lógica – ele é antes de tudo um site de compartilhamento e hospedagem de arquivos, sendo mais utilizado pelas bandas para lançamentos de CDs, EPs e singles. Ao contrário de similares como o Mediafire e o Rapidshare, o 4Shared dificilmente apaga seus arquivos sem aviso prévio (a internet está cheia de blogs indicando links para download que já expiraram). Além disso, o 4Shared permite que você escute online o som hospedado, antes de decidir se baixa ou não – é possível inclusive obter o código do player para publicá-lo em seu site ou blog, exatamente como se faz com os vídeos do YouTube.

O YouTube, aliás, acaba também sendo uma opção para a difusão de som, como talvez a mais poderosa alternativa ao MySpace. Foi, por exemplo, a solução que adotei para conhecer melhor o trabalho de Tabatha Fher, até que seu CD seja lançado.


  • Making-off do texto - Texto publicado em 1.5.11 no site Rockazine (atualmente fora do ar) e incluído no nº 2 da revista de mesmo nome, uma iniciativa da jornalista paulista Karina Francis. Para saber mais sobre o projeto, leia o depoimento dela ao Som do Norte que publiquei em 3.4.10. 
  • Bom, como a maioria de vocês sabe, o MySpace segue no ar, mas já não tem mais a importância que teve na difusão musical há algum tempo, que estava de fato mostrando o prenúncio de seu final na época que escrevi este artigo. Acessei o site agora e ele tá mais para um portal de cultura pop que também tem música e vídeos.
  • Dos outros mencionados, o Conexão Vivo saiu do ar. O PalcoMP3 segue a mesma filosofia de permitir baixar o que estiver postado. Já o 4Shared se tornou menos amigável na hospedagem de arquivos, o que ficar sem ser acessado por um tempo é apagado do site. De modo que, ante as alternativas serem sites onde você paga para ouvir música (e com nomes estranhos como Spotify e Tidal), eu sigo usando o YouTube como um grande "vitrolão" (recentemente ouvi lá todos os LPs lançados por Elvis Presley). 
  • O Mediafire ainda existe; o Rapidshare encerrou as atividades em 2015.
  • Logo após a publicação, recebi comentários de que faltaram menções a serviços similares como a Trama Virtual (atualmente também fora do ar). Pensei em alterar o texto, mas acabei descartando a ideia ao conhecer o e-book Para entender as mídias sociais, em especial o texto "Música", da jornalista paulista Kátia Abreu, que menciona a Trama e outros sites então em voga, como o Oi Novo Som e o Toque no Brasil (este ainda em funcionamento). Optei então por republicar o texto de Kátia Abreu no Som do Norte em 31.5.11. O Soundcloud já existia desde 2007, mas não foi mencionado por mim porque só se popularizou por volta do final de 2011 (creio que Kátia não o tenha citado pelo mesmo motivo). A primeira menção ao Souncloud no Som do Norte se deu em junho de 2011, ou seja, no mês seguinte à publicação deste artigo. 
  • Tabatha Fher ficou conhecida nacionalmente ao participar da quarta edição do programa The Voice Brasil em 2015. Nesse ano, foi lançado um EP com algumas das músicas do CD que menciono no início do texto (cheguei a ouvir o disco, praticamente pronto, no escritório da produtora paulistana S de Samba em junho de 2012). 
  • O nº 1 da Rockazine saiu em dezembro de 2010 (o site entrou no ar no dia 3 desse mês). No número de estreia, colaborei com o texto "De imparcialidade e parcerias: Rock no Som do Norte", que pode ser lido neste post. Foi o 4º texto mais lido do site da revista naquele mês (995 acessos).
  • No intervalo entre os nºs 1 e 2, meu texto "O novo som de Belém" saiu em 4.1.11 no site da Rockazine, sendo minha única colaboração para lá que não saiu na revista (era uma republicação do texto original que saíra no Som do Norte em 19.12.10). Enquanto em meu blog o texto foi lido 290 vezes até hoje, apenas em 6 dias no site da Rockazine ele foi acessado 642 vezes! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário